Deméter / Eresictón

DEMÉTER (grego) CERES (romana) era a deusa olímpica da agricultura, trigo, cereais e do pão que sustentava a humanidade com as riquezas da terra. Filha de Cronos e Reia, mãe de Perséfone.

Ela presidiu o mais importante dos Cultos Misteriosos que prometiam a seus iniciados o caminho para uma vida após a morte abençoada no reino de Elysium. Deméter foi retratada como uma mulher madura, muitas vezes usando uma coroa e feixes de trigo ou uma cornucópia (chifre da abundância) e uma tocha.

Há um relato mítico bem interesante envolvendo Deméter e um personagem chamado Eresictón, acompanhe…

Eresictón desprezava os deuses e deusas e não lhes oferecia sacrifícios (lembre-se que sacrifício também está relacionado com sacro-ofício!).

Um dia ele resolveu construir um teto para sua sala de banquetes e não hesitou em cortar e derrubar uma árvore sagrada que fazia parte do santuário ancestral de Deméter. Para tal feito, pediu ajuda aos gigantes. As ninfas e as dríades que habitavam por ali, rapidamente foram pedir auxílio à deusa.

Deméter tomou a forma da sua sacerdotisa Nicipe e tentou com diplomacia e boas maneiras fazer com que Eresictón desistisse do sacrilégio. No entanto, ele além de muito mal educado egrosseiro, ameaçou matar a deusa com o mesmo machado que tinha cortado a árvore e que ainda o tinha em mãos.

Deméter foi acometida de uma ira sem precedentes e ordenou a Nemesis (Vingança) e a Limos (Fome) que vingassem esse tremendo ultraje.

E como magia, o monstro da fome insaciável entrou nas entranhas de Eresictón.

Quanto mais ele comia, mais fome tinha.

Eresictón, mesmo muito rico, vendeu todas suas posses para saciar a sua fome. Não resolvendo, seu pai começou a ajudá-lo, mas de nada adiantava. Sua voracidade arruinou suas riquezas e as riquezas da família. Pouco depois, como maltrapilho, começou a comer restos dos desperdícios e lixos. Nem vendendo sua filha, que atendia pelo nome Mestra, foi suficiente para quitar sua fome. Mestra havia ganhado de presente do seu amante Posídon o dom de metamorfosear-se e, mesmo sendo vendida várias vezes (em troca de alimentos) a vários homens diferentes, nunca os alimentos saciavam Eresictón.

Para acabar com seu tormento, Eresictón comeu a si mesmo.

Fonte: Metamorfosis – por Ovidio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: