Pensando sobre Zeus

Depois do reino de Urano e toda a sua criação, veio a Era de Ouro de Cronos (de quem ele, Zeus, descende) e em seguida o reino do espírito. Ele vem com o propósito de organizar o mundo exterior e interior; é dele que depende a regularidade das leis físicas, sociais e morais. Ele é, segundo Mircea Eliade o arquétipo do chefe de família patriarcal.

Deus da luz, é o soberano Pai dos Deuses e Deusas, Pai dos Homens (Homero); a partir da terceira geração mitológica, segundo Hesíodo, é ele quem preside a todas as manifestações do céu. Sim, Zeus é o éter, Zeus é a terra, Zeus é o céu. Sim, tudo o que há acima de tudo (Ésquilo, Helíades, fragmento 70).

Lançando o relâmpago, simboliza o espírito e o esclarecimento da inteligência humana, o pensamento iluminador e a intuição enviada pela divindade; é a fonte da verdade. Quando a autoridade é ultrajada ele vem como justiceiro.

Zeus foi digno e generoso com sua ama de leite e a presenteou com a Cornucópia da Abundância… Ele reconheceu todos os seus esforços.

Veja abaixo o uma pequena parte do Hino à Zeus por Cleanto (331 a.C)

Salve, tu, o mais glorioso dos Imortais, tu que és designado por tantos nomes diferentes,

Zeus, eternamente todo-poderoso, tu, que és o autor da Natureza, r que governa com lei todas as coisas!

Tanto és em tanto todo lugar o senhor supremo do universo inteiro quanto nada na Terra,

Ó Deus, nada acontece sem ti; nada no céu etéreo e divino; nada no mar; nada a não ser o que realiza loucura nos maus.

Mas tu sabes reduzir à justa à justa medida o que é excessivo,

impor a ordem ao que é desordem, e tornar amigas as coisas que te são inimigas…

O personagem Zeus, mesmo com todas as forças concedidas à ele através dos olhares humanos, e com todas suas nuances de conduta (muitas vezes incompreensÍveis) nos remete hoje a inúmeros questionamentos.

Suas inúmeras aventuras amorosas, oscilação de humor e decisões ininteligíveis nos geram desconforto quando fazemos o contraponto que ele é o Senhor da Justiça. Há muitos desacordo em relação ao seu simbolismo entre filósofos, críticos, pesquisadores e demais autores nos 4 cantos do mundo.

Até mesmo sua imagem de soberania já foi colocada em xeque.

Como quase tudo por aqui na Terra, e na mitologia não poderia deixar de ser diferente, o mito evolui e se transforma (Ufa, ainda bem!).

Há especialistas na área de psicologia humana que lembra que algumas pessoas (normalmente homens) mostram sinais de síndrome de Zeus – aqueles líderes que sabem levar adiante a comunidade em prosperidade, mas que em algum momento perdem o controle e se deixam levar pelos exageros, desperdícios, bem como abuso de autoridade.

Onde está a linha que separa o Zeus na condição divina-humana e onde ele se encontra de uma maneira metafórica? Se pensarmos como um símbolo – Zeus (céu brilhante) sim, ele como abstração-relação com o céu, não há dúvida que ele fecunda (ou seja se “enamora”) por quase tudo o que se encontra na superfície. E com estes elementos se une e fertiliza. O céu não conhece limite. O céu claro do dia, que é sua representação, justifica tudo. E faz justiça ao terreno fértil.

Há em Zeus códigos de comportamento e conduta – ele quer eliminar a injustiça (tanto que conseguir parar o filicídio incontrolável de seu pai, Cronos).

Mesmo tendo uma infância abastada, quem garante que ele não carrega a dor da rejeição? Será que ele não traz nele o mesmo terror à sucessão? E não trará consigo o pavor da inferioridade intelectual?

O arquétipo de Zeus no ser humano o motivo a ampliar a cultura. Porém, não necessáriamente a inteligência. E nem sempre a empatia e devida percepção emocional. A pessoa com arquétipos de Zeus arraigados podem afirmar: “Se eu posso, porque você também não pode? Porque eu… Porque no meu caso… Porque eu faço assim…” Sem ter a mínima noção humana de que o poder do outro, as condições do outro, não são as mesmas que as suas…

Quanto mais se estuda, mais em contradição caímos? Esse Zeus que habita em nós – no autoritarismo e exibicionismo cultural e intelectual – nos leva a cair na inevitável falha de raciocínio e razão? Se não tivermos consciência e humildade, a resposta é: sim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: