Fênix – Simbolismo e Forças

Fênix – OpenClipart-Vectors por Pixabay 

Fênix – Ave Mítica da Transformação e Seu Simbolismo ao Redor do Mundo

Você sabia que a Ave Mítica Fênix – e suas variantes – foram, de certa forma cultuadas na Antiga Grécia, Egito, Itália, China, Índia, Pérsia, Rússia, entre outros?

Fênix Mítica em Outras Culturas e Seus Significados

É o que vamos tratar aqui neste post.

Fênix – Mais de 2.600 Anos de Força Icnográfica e Simbolismo Multicultural

Aparentada com o Dragão, a Fênix Feng Huang é uma das mais respeitadas criaturas míticas na China, sendo a soberana sobre as demais aves. Normalmente é grafada como uma ave muito marcante e sua maior ênfase está no maravilhoso colorido de suas penas. Essa simbologia remonta mais de 2.600 anos!

Originalmente a Feng Huang (Fênix) era representado por duas aves: Feng era o masculino, ou seja Yang – símbolo da energia do ciclo solar; já Huang era a feminina, que representava o Yin e a energia cíclica da Lua. Tinham algo de cumplicidade e eram tidos como parceiros – esposo e esposa, consolidando algum fundamento matrimonial, que normalmente faziam parte das decorações e cerimônias de casamento. Sua participação simbólica nas festas de matrimônio garantia felicidade conjugal.

No entanto, com o passar do tempo, ele acabou quase como se convertendo oficialmente no Dragão Chinês. De todas as formas, a Fênix sempre traz uma interpretação simbólica de prosperidade e força. Fênix Feng Huang rege os portais do Sul e nessa cultura está associada ao outono.

Há quem afirme na tradição oral que Feng e Huang se tornaram um só.

A Fênix, Feng Huang, é tida com ave imortal e que carrega em si as 5 virtudes:

  1. Benevolência
  2. Justiça
  3. Sabedoria
  4. Retidão
  5. Sinceridade
Feng Huang – page 150, The Mythical Creatures Bible, Brenda Rosen, Godsfield Book, 2008

Aqui vemos a Fênix – Feng Huang – como uma mistura de pica-pau, pavão, faisão…

E com mais 5 Atributos:

  • Liberdade
  • Inteligência
  • Força
  • Carisma
  • Poder de Comunicação

É interessante o ponto Poder de Comunicação… Há muitos anos, eu escutei o relato de uma senhora chinesa (muito culta e cheia de sabedoria!), mas que não me permite colocar seu nome aqui.

— Preste bastante atenção! – disse a senhora e fez uma pausa.

— Nós devemos sempre ter uma Ave Mítica Fênix* em nossa porta. Devemos lhe oferecer no início do verão, outono e da primavera flores e frutas vermelhas. Se a tratamos bem, ela sempre irá nos notificar das coisas que acontecem no mundo lá fora que são notícias importantes para nós. Ela nos anuncia através dos sonhos o que devemos mudar para prosperar. Sabe, elas sabem o que nos interessa, o que nos traz boa sorte.

*Fênix Sagrada em forma de amuleto ou pequenas estátuas que são colocadas na porta de entrada principal de residências ou empresas, no lado externo. Normalmente são vendidas em lojas de artigos especializados na cultura oriental (Feng Shui) ou feitas por artesãos capacitados sob encomenda.

É comum vermos nas pinturas e iconografias ao redor do mundo, a Fênix atacando cobras com suas garras com suas asas estendidas. Há ainda quem afirme que a Fênix seja composto do bico de um galo, a face de uma andorinha, a testa de uma ave, o pescoço de uma cobra, o peito de um ganso, as costas de uma tartaruga (OMG!), o traseiro de um cervo adulto (Uau!) e o rabo de um peixe. Hoje, contudo, muitas vezes é descrita como um composto de muitos pássaros: a cabeça de um faisão dourado, o corpo de um pato mandarim, o rabo de um pavão, as pernas de um grou coroado, a boca de um papagaio e traços de um tragopã.

Conheça Tragopã aqui: https://nationalgeographic.pt/natureza/actualidade/2222-timido-por-natureza-exuberante-no-amor

Segundo Plutarco

A Fênix é um pássaro mítico de exuberante esplendor, dotado de uma extraordinária longevidade e que tem o poder depois de se consumir em chamas em uma fogueira de renascer de suas próprias cinzas.

Quando se aproxima a sua hora, a Ave Mítica Fênix, constrói um ninho com vergônteas perfumadas e com o seu próprio calor corporal efetua a auto combustão. Então renasce em seu próprio tempo.

Outra curiosa característica da Fênix: dizem que esta ave mítica de fogo possui uma força descomunal, capaz de carregar 300 vezes em relação ao seu peso.

Para algumas tradições da Antiga Grécia a Ave Fênix teria uma profunda correlação com o Deus Hermes.

Imagem da Fénix renascendo, do “Bestiário de Aberdeen

A ave mítica Fênix teria brilhantes, douradas, e vermelho-arroxeadas e seria de tamanho igual ou maior do que uma águia. Segundo alguns escritores gregos, a Ave Fênix viveria exatamente quinhentos anos. Outros acreditavam que o seu ciclo de vida era de 97 200 anos.

A longa vida da Ave Fênix e o seu dramático renascimento das próprias cinzas transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual.

A crença na ave lendária que renasce das próprias cinzas existiu em vários povos da Antiguidade como gregos, egípcios e chineses. Em todas as mitologias o significado é preservado: a perpetuação, a ressurreição e a esperança que nunca têm fim!

Já no Antigo Egito…

No antigo Egito a Fênix está associada às revoluções solares e as cheias do rio Nilo.

Benu (do verbo egípcio ueben, “brilhar”, “erguer”), também grafado Bennu, era na mitologia egípcia uma ave legendária parecida à extinta garça de Heron (Ardea bennuides).

Em algumas representações artísticas, o Benu tinha sobre a cabeça a coroa branca do Alto Egito acompanhada por duas plumas altas, formando a coroa atef.

Não se sabe muito sobre o culto ao Benu, exceto que estava centrado em Heliópolis.

Este animal era considerado como o ba (alma) do deus  (o sol, na sua forma de Atum) quando este surgira no momento da criação do mundo pousando na pedra Benben, a primeira porção de terra emersa das águas primordiais, identificadas ao Deus Nun, tendo dado origem à vida. A ave era vista, em outros casos, como o ba (alma) de Osíris, surgida após a morte do deus nas mãos de Seti.

Segundo outro mito egípcio, uma gansa, conhecida como a “Grande Grasnadora”, põe o primeiro ovo, do qual sai Benu.

Está associada as crescentes do Nilo.

Entre os Persas…

A Fénix, símbolo de ressurreição.

O poeta persa sufista Farid al-Din Attar, no livro A Conferência dos Pássaros, de 1177, descreve a fênix:

“Na Índia vive um pássaro que é único: a encantadora fénix tem um bico extraordinariamente longo e muito duro, perfurado com uma centena de orifícios, como uma flauta.

Não tem fêmea, vive isolada e seu reinado é absoluto. Cada abertura em seu bico produz um som diferente, e cada um desses sons revela um segredo particular, sutil e profundo. Quando ela faz ouvir essas notas plangentes, os pássaros e os peixes agitam-se, as bestas mais ferozes entram em êxtase; depois todos silenciam. Foi desse canto que um sábio aprendeu a ciência da música. Ela sabe a hora de partir e sabe a hora de renascer.”

Na Idade Média, os cristão a consideraram que a Fênix a Ave Mítica Sagrada era o símbolo da ressurreição de Cristo, bem como do triunfo da vida sobre a morte.

HeródotoLucanoPlinio el Viejopapa Clemente ILactancioOvidio, e Isidoro de Sevilla estão entre aqueles que contribuíram para perpetuar através de contos, recontos e transmissão oral e escrita sobre o tema da Ave Fênix.

Na antigua Grecia e Roma, a Fénix se associou com Fenicia, (região do atual Líbano), que foi uma civilização bem famosa por sua produção de tinta púrpura a partir de conchas – e por comercializá-la por via marítima por grandes extensões através do mediterrâneo.

Fênix e suas principais simbologias: é Fogo, Reconstrução, Regeneração, Força, Transmutação.

Claudio Claudiano (século IV), considerado o último dos grandes poetas romanos, comentava:

“El fénix es un ave igual a los dioses celestes, que compite con las estrellas en su forma de vida y en la duración de su existencia, y vence el curso del tiempo con el renacer de sus miembros. No calma su hambre comiendo ni apaga su sed con fuente alguna.” Claudio Claudiano

“A Fênix é uma ave que se iguala aos deuses celestes, que compete com as estrelas em sua forma de vida e na duração de sua existência; que vence a travessia do tempo com o renascer de seus membros. Nunca sacia sua fome mesmo comendo e nem sua sede em fonte alguma.” Claudio Claudiano

Na literatura

Uma Fênix na literatura é protagonista da novela “A Princesa da Babilónia” de Voltaire. Voltaire faz a seguinte descrição desta ave fabulosa:

“Era do talhe de uma águia, mas os seus olhos eram tão suaves e ternos quanto os da águia são altivos e ameaçadores. Seu bico era cor-de-rosa e parecia ter algo da linda boca de Formosante. Seu pescoço reunia todas as cores do arco-íris, porém mais vivas e brilhantes. Em nuanças infinitas, brilhava-lhe o ouro na plumagem. Seus pés pareciam uma mescla de prata e púrpura; e a cauda dos belos pássaros que atrelaram depois ao carro de Juno não tinham comparação com a sua.”

Etimologia

Alguns estudiosos defendem que Phoenix, Fénix, Fênix tem uma relação com “Excelência”.

Una representación de un fénix por 
Friedrich Justin Bertuch , 1806)
Bertuch-fabelwesen.JPG: Friedrich Johann Justin Bertuch (1747–1822) derivative work: Tsaag Valren (talk) – Bertuch-fabelwesen.JPG, Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=7038417

Conclusão:

O que pensar dessa Simbologia sobre a Fênix, a Ave Mítica Transformadora e que traz consigo o poder da Ressurreição?

Objetivamente, quase todos os dias vivemos esse desafio de lidar com tudo aquilo em nós que precisa ser examinado, retificado e transmutado. É regressar para nosso “ninho” interno para nos transformarmos. E saber, claro, ressurgir das cinzas a partir dessas experiências. Não é difícil e nem fácil, depende de como entendemos nossas vivências e de como reagimos à elas. Ressignificar nossos dons e nossa capacidade de superação.

Sabe, um dia de cada vez. Que a cada 24 horas tenhamos consciência e força de compreensão.

Que o Sol intercale a Lua e a Noite intercale o Dia. Só por hoje e nas próximas 24 horas, podemos nos comprometer com a nossa força, com nossos dons e desenvolvimento.

Imagem de Gordon Johnson por Pixabay 

Fontes:

Wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Phoenix_(mythology)

The Mythical Creatures Bible, Brenda Rosen, Godsfield Book, 2008 – https://www.amazon.com.br/Mythical-Creatures-Bible-Definitive-Legendary/dp/1402765363/ref=sr_1_1?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=The+Mythical+Creatures+Bible&qid=1637366713&sr=8-1&ufe=app_do%3Aamzn1.fos.4bb5663b-6f7d-4772-84fa-7c7f565ec65b

https://www.dicionariodesimbolos.com.br

Dicionário de Símbolos, Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, editora José Olympio – https://www.amazon.com.br/Dicion%C3%A1rio-s%C3%ADmbolos-Jean-Chevalier/dp/6558470071/ref=sr_1_2?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&crid=2SJ0L3T2S79OW&keywords=dicion%C3%A1rio+dos+s%C3%ADmbolos&qid=1637366811&sprefix=dicion%C3%A1rio+dos+%2Caps%2C304&sr=8-2&ufe=app_do%3Aamzn1.fos.6121c6c4-c969-43ae-92f7-cc248fc6181d

Crédito da Imagem: Fênix – Ave Mítica / Imagem de gnav por Pixabay 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: